Além de mim

Senta aqui… vamos conversar.

Você se lembra daquele dia em que nos sentamos em frente ao portão de casa e começamos a discutir sobre todas as coisas que nos incomodavam? Lembra do seu jeito debochado, de quem não dá a mínima pro que o outro está falando? Você sequer se lembra das minhas palavras ou de tudo o que eu tentei expressar naquele dia? Pois bem, eu tentei com todas as minhas forças fazer você perceber tudo aquilo que não estava me fazendo bem, e ao mesmo tempo tentar defender e mostrar que, apesar de tudo aquilo, você ainda significava algo. Vai negar?

Acontece que depois de tanto tempo renegando minha própria essência em benefício de alguém que não movia um dedo pra demonstrar a minha importância, hoje estou pronta pra dizer que cansei. Cansei do seu jeito, da sua forma de não se importar, das suas brincadeira infantis e a forma com que você tira a borda do pão de forma antes de comer. Cansei das suas opiniões vazias e desse seu jeito “dono da razão” de agir. Eu cansei, mas não cansei de gostar de você, cansei de desgostar de mim, porque depois de tanto tempo eu percebi quem é que realmente é importante.

Hoje, segura de mim, eu sigo a vida, plena e certa de que pela primeira vez estou fazendo a coisa certa, unicamente por mim. Hoje, depois de tanto tempo, eu te deixo ir e abro as portas para aquela pessoa que, apesar de tudo, eu sei que sempre vai estar ali.

Pseudo intelectual, aspirante a fotógrafa, curiosa por natureza, cheia de ideias revolucionárias que nunca vão chegar a lugar algum. Gosta de filmes de terror, séries dos mais variados tipos e livros dos mais distópicos possíveis. Caiu na besteira de querer ser programadora, mas depois de um tempo foi fazer publicidade e hoje ganha a vida resolvendo problemas que as pessoas não sabiam que tinham. Já tentou ser mestre pokémon, não gosta de princesas e não sabe ser uma menina meiga. Apaixonada por mitologia, vampiros e qualquer outra coisa sobrenatural. Fala mal de tudo, inclusive das coisas que gosta.

Deixe uma resposta