Antigo? Nem tanto…

 “I don’t want to wait for our lives to be over,
I want to know right now what will it be
I don’t want to wait for our lives to be over,
Will it be yes or will it be…sorry?”

Aposto um doce que você se lembra dessa canção. Bem, se você tinha 15 anos no remoto ano 2000, pode ser um dos que se lembra! Esse é um trecho da música I don’t want to wait, de Paula Cole, tema do seriado “Dawson’s Creek” exibido de 1998 a 2003.

A série conta a história de quatro adolescentes, Dawson Leery (James Van Der Beek), Joey Potter (Katie Holmes), Pacey Witter (Joshua Jackson) e Jen Lindley (Michelle Williams). Tudo é muito tranquilo na vida dos três primeiros até a chegada de Jen na cidade. Ela vem de New York, com outro estilo de vida que acaba fascinando Dawson e quebrando o coração de Joey, que é apaixonada pelo amigo.

Apesar de parecer clichê, a série oferece grandes momentos de demonstração de amizade e o frequente conflito “O que acontece se você se apaixona pelo seu melhor amigo?” ou “O que acontece quando você se apaixona pelo melhor amigo do seu antigo namorado que era seu melhor amigo?”. Muito complicado? Na vida real isso acontece também, até mais frequentemente do que imaginamos.

Mas você pode pensar: “1998? Esse seriado é muito velho!” Meu amigo, não é velho não! Os cortes de cabelo podem estar fora de moda e as camisas do Pacey podem ser horríveis, mas (quase todos) os conflitos e dúvidas são os mesmos dos adolescentes de hoje e, às vezes, se aplicam até aos jovens “mais velhos”.

Portanto, quando suas séries de Sci-Fi estiverem no hiatus, deixe-se levar pelas maravilhas e dúvidas do mundo das séries de relacionamento e assista Dawson’s Creek.

Universo Alternativo é um blog de entretenimento (ou não), criado em meados de 2009 e, quando nada deu certo, foi morto e reinventado a partir do zero (em 2014) como se nada tivesse existido antes. Gerado diretamente do Caos (Caos), assim como seus irmãos Nyx (Noite) e Érebo (Escuridão), UA é a personificação dos universos paralelos existentes no Cosmos. Para um melhor entendimento sobre o assunto, indicamos o estudo de mitologias de um modo geral.

3 Comments

Deixe uma resposta