A Velha Paixão por Filmes de Época

Hey Runaway’s!!! Depois de vários posts com os mais variados temas, chegamos ao ultimo do ano. Eu tinha pensado em fazer uma retrospectiva, mas como são tantos posts, eu fiquei um pouco perdida. Então vamos ao tema derradeiro da coluna Entertaining em 2010.

A maioria dos meus posts nesse ano que passou falavam das minhas paixões, sejam elas no cinema, na música, nos esportes… Esse ultimo não seria diferente, pois eu irei falar da minha paixão por filmes de época. Os filmes ambientados nos séculos passados me fascinam, eu tenho uma preferência pelos que se passam no século XVIII, mas alguns dos meus favoritos são na era renascentista e nas primeiras décadas do século XX. O legal desses filmes é que, além de serem visualmente belos, eles são uma aula viva de história.

Um dos meus favoritos nesse estilo de época é “Para Sempre Cinderela” (Ever After, 1998) que se passa na era renascentista. Eu sei que esse filme é totalmente água com açúcar, além de ser um ícone da sessão da tarde, mas eu gosto. Amo o figurino e esse é um dos únicos filmes onde pode se ver a Drew Barrymore morena, sem falar que o príncipe do filme é lindo.

Outro e muito água com açúcar, mas que eu amo é “Orgulho e Preconceito” (Pride & Prejudice, 2005). Esse filme é baseado na obra da escritora inglesa Jane Austen. Se passa na virada do século XVIII para o XIX e conta a história de uma jovem desajeitada e sedutora ao mesmo tempo, interpretada por Keira Knightley, na sua busca pelo amor. Ainda temos no elenco o bonitão do Matthew Macfadyen como o mocinho da trama. Um dos grandes atrativos é a fotografia que é simplesmente linda.

O que mais me faz gostar de filmes nesse estilo são as histórias da realeza nas suas cortes européias, todos usando aquelas roupas pomposas e falando naquela linguagem formal, um dos primeiros filmes nessa temática que eu vi foi “O Homem da Máscara de Ferro” (The Man in the Iron Mask, 1998). A história se desenrolava na França do final do século XVII, bem no reinado de Luís XIV, o enredo conta com a participação dos Três Mosqueteiros e eu amava ouvir as histórias deles quando era pequena.

Ainda no universo dos reis franceses, eu destaco Maria Antonieta (Marie Antoinette, 2006). Esse filme é odiado pelos críticos, mas eu gosto dele só por causa do figurino que é lindo de morrer!

Saindo da França dos séculos XVII e XVIII, vamos para a Inglaterra da era renascentista, o duo de filmes que conta a saga da rainha Elizabeth I (Elizabeth, 1998 e Elizabeth: The Golden Age, 2007) figuram na minha lista de favoritos. Quem assiste pode considerar o filme meio assombroso e frio, mas o século XVI tinha dessas coisas, foi uma época muito assustadora para a humanidade, mas se levarmos em conta a força de Elizabeth como personagem, tudo vale á pena.

Ainda na Inglaterra do século XVI, na era de ouro de Elizabeth I, tenho outro filme para comentar, trata-se de Shakespeare Apaixonado (Shakespeare in Love, 1998) com a Gwen Paltrow e o bonitão do Joseph Fiennes no elenco. O filme é lindo e mostra uma visão bem mais adocicada do século XVI, sem falar que o tema central do filme é Shakespeare que foi um dos grandes gênios da humanidade!

Mudando totalmente de época, eu vou fechar esse assunto cinematográfico/histórico com os filmes que se passam em algumas décadas do século passado, um dos meus favoritos é “Os Intocáveis” (The Untouchables, 1987). Esse filme é fantástico e se passa nos anos 30, numa Chicago dominada pela máfia.

Ainda na década de 30, mas mudando dos EUA para a Inglaterra, temos “Desejo e Reparação” (Atonement, 2007), esse filme é um dramalhão pesado, ambientado na Inglaterra atingida pela guerra, mas ele tem uma fotografia linda e o também lindo James McAvoy está em uma de suas melhores atuações.

Bom gente, eu encerro por aqui a minha lista de filmes (porque se eu fosse continuar esse post iria ficar enorme!)

Então até 2011 Runaway’s!

XOXO

Universo Alternativo é um blog de entretenimento (ou não), criado em meados de 2009 e, quando nada deu certo, foi morto e reinventado a partir do zero (em 2014) como se nada tivesse existido antes. Gerado diretamente do Caos (Caos), assim como seus irmãos Nyx (Noite) e Érebo (Escuridão), UA é a personificação dos universos paralelos existentes no Cosmos. Para um melhor entendimento sobre o assunto, indicamos o estudo de mitologias de um modo geral.

Deixe uma resposta