Nostalgia da Estrada

Bom, pessoal, aqui venho eu, Luke, para começar minha nova coluna: “Tô ficando velho”. Em suma, ela se resume a falar sobre coisas velhas, exceto minha mãe, que me fazem querer ter nascido há muito tempo atrás, por achar que o que é velho, antigo e/ou decrépito é melhor do que há hoje em dia. O que é verdade.

Para minha primeira “viagem”, vamos falar sobre um sonho de muitos jovens da década de 70. Embora até hoje existirem jovens e não tão jovens que o desejam.

Voltemos então para os longínquos anos 1960, onde regras de sustentabilidade ecológica eram coisa de hippie e a preocupação com o meio ambiente era imaginar se ficava caro derrubar uma floresta inteira para construir uma estrada e uma usina nuclear.

Nessa linda época, a moda entre os garotões americanos era os chamados muscle cars, carros esportivos com configuração diferenciada de fábrica. E no ano de 1966, a Chevrolet lançou, o hoje clássico, Camaro. Mas sejamos um pouco mais detalhistas, no ano de 1968 saiu uma série mais exclusiva que a, já amada, SS (Super Sport), o pacote Z28. O tal pacote trazia uma série de opcionais para deixar seu Camaro ainda mais nervoso. As calotas de sete polegadas, a transmissão exclusiva Hurst de quatro velocidades, com um opcional de potência ainda mais forte (4.10:1 de relação de marcha, contra 3.73:1do padrão) e freios a disco nas quatro rodas, entre outros.

Você pode não entender, mas isso é uma obra de arte.

Notadamente, este carro era focado para corridas de estrada, pois a máquina não rendia tão bem como esperado nas ruas. Ainda assim foi destaque da Trans American Racing, a Trans Am, famosa categoria de corridas de estradas da década de 60, tendo sido páreo duro para os formidáveis Ford Mustang ’69 e ’70.

Por sua fama nas pistas, e por ter uma “cara de mau”, o Z28 arrebatou corações do mundo todo, sendo um dos carros mais cobiçados, em se tratando de muscle car. Talvez seja por isso que a Chevrolet americana relançou o modelo em 2009, inspirado nas lindas curvas do ’69.

Desse jeito até a moça fica atraente...

Ainda assim, o carro fez aparições no cinema e na música. Em 60 Segundos, de Dominic Sena, o Z28 é o carro de n° 11 (Erin) da lista que “Memphis” Raines, personagem de Nicholas Cage, tem de roubar. Para demonstrar o amor que possui por seu Camaro, Wayne Static, vocalista do Static-X, compôs a música “Z28” (não diga!) e vale a pena conferir a música.

Enfim, este monstro das pistas e das garagens de colecionadores é um dos meus preferidos e, caso eu dispusesse atualmente de US$ 60.000,00, eu não hesitaria em realizar o sonho do Camaro próprio. E saber que em seu lançamento, ele valia US$ 2.500,00…

Por gostar de “latas velhas” assim, que eu digo… To ficando velho.

Universo Alternativo é um blog de entretenimento (ou não), criado em meados de 2009 e, quando nada deu certo, foi morto e reinventado a partir do zero (em 2014) como se nada tivesse existido antes. Gerado diretamente do Caos (Caos), assim como seus irmãos Nyx (Noite) e Érebo (Escuridão), UA é a personificação dos universos paralelos existentes no Cosmos. Para um melhor entendimento sobre o assunto, indicamos o estudo de mitologias de um modo geral.

3 Comments

  • Gábis Nora

    7 de dezembro de 2010 at 3:18 pm

    muito legal o post, eu sempre curti esses assuntos, eu queria mto ter vivido na época que um carrão desses custava só US$2.500, seria um sonho comprar um desses hoje por esse preço

    gostei da coluna, super interessante e ela promete

    Responder
  • GuXta

    9 de dezembro de 2010 at 1:09 am

    Muito bom, cara. Transformou a piada da Gih em algo produtivo. ADOREI! uiahuiHAUIhuiahUIAHI
    Obs: pelo menos ESTAMOS FICANDO velhos… ainda não estamos.

    (apaga o de cima que ficou errado)
    @edit Comentário duplicado deletado. A Moderação.

    Responder

Deixe uma resposta