Casos de Família

Chegou a hora de falar de Modern Family. Na minha opinião, a melhor estreia de comédia do ano passado, que está de volta esse mês com sua 2° temporada.

Todos sabem que família é algo complicado. Acredito que nenhuma, no mundo inteiro, seja 100% amável, compreensiva, presente e etc. Nenhuma família é perfeita. Aliás, nenhum ser humano é perfeito, não é? Estamos sujeitos a reprovações e erros a todo instante. Em Modern Family vemos isso de uma forma especial e muito bem colocado. Vamos fazer aquele exercício de conhecimento rápido da série.

Existem três núcleos. No primeiro temos Jay, interpretado por Ed O’neil, o saudoso Al Bundy de Married With Children. Jay é o patriarca da família, de uma forma geral. Tem dois filhos de seu primeiro casamento e está atualmente se relacionando com Glória (Sofía Vergara), uma imigrante colombiana que é pelo menos 20 anos mais nova que ele e possui um corpo escultural. Junto com ela veio seu filho, Manny (Rico Rodriguez), um gordinho CDF que age como adulto.

No segundo núcleo temos a filha de Jay, Claire (Julie Bowen), que é uma dona de casa na maioria das vezes estressada, e a considero a mais normal da família. Ela casou-se com Phil (Ty Burrell), um grande banana que tem medo de tudo e todos, não consegue fazer nada direito e é considerado o fracassado da série. Na minha opinião um dos mais engraçados personagens. Os dois têm três filhos: Haley (Sarah Hyland), a filha mais velha, já adolescente e com seus problemas corriqueiros da idade. Alex (Ariel Winter), a filha do meio, intelectual e inconformada com a família em que nasceu. Por último vem Luke (Nolan Gould), o filho mais novo que puxou completamente seu pai e leva o troféu retardado da série.

No terceiro e último núcleo temos o casal gay Mitchell (Jesse T. Ferguson), o segundo filho de Jay, sempre preocupado com a carreira e independente desde cedo, e Cameron (Eric Stonestreet), seu parceiro, que eu considero ser a “esposa” da relação, possuindo o lado emocional mais forte, e em compensação protegendo sempre a família. Os dois adotaram uma criança vietnamita, chamada Lily e a tratam como princesa a série inteira.

Existem os personagens secundários, como o namorado de Alex, a ex esposa de Jay, a médica asiática de Lily, o pai de Phil e o pai de Manny. Todos bem importantes para a série, já que completam temas hilários de vários episódios.

Com esse detalhamento de personagens é possível ter noção da mistura que a família tem e as grandes possibilidades de sempre algo dar errado. E é exatamente isso que acontece. Cada episódio tem cerca de 21 a 24 minutos, e me fazem gargalhar de rir mais de uma vez. O roteiro é sensacional e a direção montou tudo de uma forma inteligente e prática, que funcionou como uma luva. Através de uma entrevista individual ou em dupla os personagens respondem a questões familiares ou pessoais, dando sequência à situações compatíveis.

Para quem gosta de comédia e era fã de Friends, ou é atual fã de How I Met Your Mother, é a melhor opção de série no momento. Seu potencial é tão grande que acredito ficar no ar por um longo tempo. Não é a toa que Modern Family foi indicada a várias categorias do Emmy Awards 2010, ganhando algumas estatuetas, incluindo melhor ator coadjuvante de comédia (Eric Stonestreet) e melhor série de comédia.

Confere lá, e morra de rir!

Universo Alternativo é um blog de entretenimento (ou não), criado em meados de 2009 e, quando nada deu certo, foi morto e reinventado a partir do zero (em 2014) como se nada tivesse existido antes. Gerado diretamente do Caos (Caos), assim como seus irmãos Nyx (Noite) e Érebo (Escuridão), UA é a personificação dos universos paralelos existentes no Cosmos. Para um melhor entendimento sobre o assunto, indicamos o estudo de mitologias de um modo geral.

Deixe uma resposta