Band of Brothers & The Pacific

Ao preparar o post dessa semana, pensei em várias possibilidades de temas e me surpreendi quando percebi que eu nuca havia falando sobre séries (exceto Supernatural, mas ai já é um clichê meu), então pensei em falar sobre duas minisséries com tema histórico que eu adoro, The Pacific e Band Of Brothers.

O tema das duas minisséries é a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Tenho que confessar que eu detesto a história dos Estados Unidos na Segunda Guerra e que Tom Hanks e Spielberg queimaram seus filmes comigo em O Resgate do Soldado Ryan (o ápice do clichê dos filmes de guerra), mas como as duas minisséries focam nas histórias reais e pessoais dos americanos que estavam no front, as produções me conquistaram. Não pelo peso histórico (os americanos se vangloriam demais sobre sua participação na Segunda Guerra, mas todo mundo sabe o que os americanos passaram não chega nem perto do horror vivido por russos, ingleses e franceses), mas pela história individual de cada soldado mostrado no contexto de The Pacific e Band Of Brothers.

Essa é a grande sacada das duas produções, pois cada drama mostrado individualmente aproxima o espectador, tornando simples cenas de batalha – tantas vezes mostradas no cinema – em espetáculos agoniantes. É só observar o modo de conduzir as cenas de batalha nas minisséries, em outras produções você vê apenas dezenas de figurantes correndo a distância, mas em The Pacific e Band Of Brothers, a câmera fica próxima dos personagens, bem focada neles, dando uma impressão de realidade, ou seja, você consegue ter uma idéia (mesmo que vaga) do horror que é estar no meio de uma guerra. E nisso a produção que mais se destaca é The Pacific, o porquê disso é muito simples: a parte da guerra, mostrada nessa produção, foi travada nas ilhas do oceano Pacifico, onde o clima é imprevisível, então ver homens lutando até a morte, no meio de lama e chuva no inverno e sob um sol escaldante no verão, é bem chocante.

As cenas de batalha em Band Of Brothers não são tão chocantes, mas também emocionam, pois a história está totalmente focada nos soldados e a cada morte o espectador sofre um pouquinho. No entanto, a produção dela errou em alguns detalhes históricos, como no caso do soldado Albert Blithe, que ao contrario do que a serie mostra, não morreu em 1948 e sim na década de 60. Outro caso que recebeu uma notoriedade por causa dos erros foi o episódio nove da trama que está lotado de erros de datas, mas apesar desses erros a produção foi muito bem feita. E eu não vou ficar aqui criticando Hanks e Spielberg, porque fazer uma minissérie sobre toda uma companhia militar não deve ter sido fácil.

Já em The Pacific eles foram menos ambiciosos, focaram a história em três soldados, que lutaram nas três principais batalhas da chamada “guerra do pacifico”. Vamos admitir que essa estratégia para botar The Pacific no ar colou muito bem, a trama não tem tantos erros históricos aparentes, só quem manja muito de história percebeu o único e mais grave erro da série: a total exclusão da história da companhia “Buffalo” (o batalhão de negros que atuou valentemente em Okinawa e foi citado com todas as honras no livro de Eugene Sledge), isso me fez pensar se tem alguém racista lá na produção de Hanks e Spielberg.

Depois de analisar os prós e contras das duas minisséries, vamos à conclusão. Essas duas produções são fantásticas, as duas fazem chorar, as duas mostram a mais dura realidade da guerra e, acima de tudo, as duas fugiram (até certo ponto) dos clichês de guerra de Hollywood, e isso foi o que mais me agradou, a trama mostra a história de heróis sim, heróis extremamente humanos, sem finais felizes às vezes, mas que mostram que a guerra não é uma coisa “heróica” e que está muito longe de ser gloriosa.

Universo Alternativo é um blog de entretenimento (ou não), criado em meados de 2009 e, quando nada deu certo, foi morto e reinventado a partir do zero (em 2014) como se nada tivesse existido antes. Gerado diretamente do Caos (Caos), assim como seus irmãos Nyx (Noite) e Érebo (Escuridão), UA é a personificação dos universos paralelos existentes no Cosmos. Para um melhor entendimento sobre o assunto, indicamos o estudo de mitologias de um modo geral.

2 Comments

  • GuXta

    17 de agosto de 2010 at 2:20 pm

    Excelente! Eu já tinha visto que vc ia escrever sobre isso, pois tinha lido o título nos rascunhos. Agora posso ler e comentar com ele finalizado.

    Não assisti The Pacific todo ainda, mas assisti Band of Brothers. Inclusive tenho o primeiro box que saiu, na época. Adoro!

    Mandou bem!

    Responder
  • Lena Victim U2

    17 de agosto de 2010 at 2:26 pm

    Minhas duas minisséries queridas !Oh sacanagem hein,adoro o resgate do Soldado Ryan,mas é bem clichê mesmo.
    Esses erros históricos em BOB realmente foram pequenos detalhes que deixaram a nós fãs de histórias de guerra um tanto decepcionados e fizeram tbm com que a série deixasse de ganhar alguns prêmios.Foram produções millhionárias com média de gasto de 200 milhões de dólares e muito bem investidos.
    Quanto a história da campanhia buffalo,não tinha como eles fazerem ,tipo,pensa comigo,vc que viu sabe o quanto foram intensas e dificieis as gravações da ''guerra do pacifico'',eles fariam mil coisas e perderiam o foco da série.
    E lembra que na época de BOB,todos lembraram que a série só abordou o Pacifico no finzinho e tiveram muitas reclamações,mais tarde veio a ser produzida The Pacific.
    O Tom e o Steven são caras espertos,devem usar todo esse sucesso de amabas as séries pra comer a HBO pra quem sabe produzir outra minissérie que trate dos ''heróis'' que não foram mencioandos.Ótimo post Lidy!

    Responder

Deixe uma resposta