Nem Todo Mundo Odeia o Chris

No mundo dos fanáticos por seriados, de tempos em tempos aparece uma série que se torna um clássico. Foi assim com Eu, a Patroa e as Crianças (My Wife and Kids) e com F.R.I.E.N.D.S. E, ao que tudo indica, será assim com “Todo Mundo Odeia o Chris” (Everybody Hates Chris), série exibida pela Sony lá na gringolândia e pela rede Record aqui no Brasil.

O seriado conta, de maneira cômica, alguns episódios da adolescência de Chris Rock (um dos mais bem sucedidos comediantes dos E.U.A). O humor negro e o sarcasmo de Chris estão presentes em cada vírgula dos diálogos dos personagens. As ruas do Brooklyn dos anos 80 tomam a TV, e os bordões escachados dos personagens são hilários. Quem nunca abriu um sorriso quando escuta: “Isso custa um dólar e trinta e sete centavos!”, “Meu marido tem dois empregos”, “Trágico!”, “Ei! Carinha que mora logo ali!”

De fato, Chris Rock construiu um roteiro pronto para se tornar um clássico, pois, mesmo assistindo episódios repetidos, é impossível não rir. Outra coisa legal nessa serie é acompanhar o crescimento de Chris (e do ator que o interpreta, Tayler James Willians). Ver como a mentalidade de um adolescente muda com o passar do tempo. A relação de Chris com sua família também é um ponto forte da serie, a família de classe media baixa residente de Bed-Stuy é divertidíssima. As excentricidades de cada um dos integrantes da família arrancam uma boa quantia de risadas do público.

Além da família de Chris, outros personagens secundários da série (as figurinhas mais famosas de Bud-Stuy) também dão graça a história, meus favoritos são: Perigo, o vendedor de peças falsificadas, quebradas ou roubadas mais famoso da TV e Golpe Baixo (Kill Movies no original), aquele é o mendigo mais doidão que eu já vi. Mas também há quem goste do Senhor Omar, Doc, Monk e do Jerome entre outros.

Algo interessante de se observar na serie, é a segregação de raças maquiada pela sociedade americana. Desde cedo os jovens de diferentes etnias não se misturam, há escolas e bairros só de negros, só de brancos, só de imigrantes italianos, etc. Quando se foca apenas no humor da série, as pessoas esquecem de ver esses detalhes no contexto da história de “Todo Mundo Odeia o Chris”. Imagino os velhos “moralistas americanos” se engasgando ao ver as piadas de Chris Rock estampadas nas falas dos personagens.

É essa abordagem cômica e suave de temas polêmicos que fizeram com que eu me apaixonasse pela série. A violência da Nova York dos anos 80 e o florescimento da cultura pop negra são ambientados no contexto da serie, é legal ver como o hip-hop era no seu início lá no final de 1986, como ele servia de musica de protesto pelos jovens negros, nada parecido com o que vemos hoje (maldito gangstaRap).

Mas, apesar das diferenças da Nova York dos anos 80 e as metrópoles atuais brasileiras, nós adolescentes nos identificamos com a luta que Chris trava para encontrar seu espaço na escola e na vida. Com seu amadurecimento precoce, ele descobre que, mesmo sendo muito novo, já pertence ao universo dos adultos e isso faz parte da realidade de muitos jovens aqui do nosso Brasil varonil.

Em “Todo Mundo Odeia o Chris”, conforme o protagonista vai olhando para o seu passado, o público vai descobrindo o que a família e amigos de Chris já sabiam há muito tempo: sua personalidade excêntrica e marcante, combinada com sua língua afiada, irá lhe abrir portas.

Ah Sacomé Neh……
até a próxima leitores Runaway’s

Universo Alternativo é um blog de entretenimento (ou não), criado em meados de 2009 e, quando nada deu certo, foi morto e reinventado a partir do zero (em 2014) como se nada tivesse existido antes. Gerado diretamente do Caos (Caos), assim como seus irmãos Nyx (Noite) e Érebo (Escuridão), UA é a personificação dos universos paralelos existentes no Cosmos. Para um melhor entendimento sobre o assunto, indicamos o estudo de mitologias de um modo geral.

4 Comments

  • Gih Leigh

    15 de junho de 2010 at 10:53 am

    Eu já disse e não canso nunca te falar que ADORO betar esses textos. Confesso que nunca tive tanto contato com Todo mundo odeia o Chris, mas os poucos episódios me chamaram a atenção. É uma séria que prente o expectador e faz com que ele ria, chore e se emocione com cada situação vivida pelo protagonista, sem contar, claro, nas tiradas estratégicas do autor. Enfim… belo post, e quem nunca viu a série, aposto que vai ter curiosidade de ver…

    Responder
  • g.caldeira ϟ

    15 de junho de 2010 at 12:04 pm

    eu odeio o chris, brinks, nossa preciso de tempo pra ver todo mundo odeia o chris, fiquei com vontade, eu só vejo alguns de vez em quando, quando estou em casa sem fazer nada de tarde, mais enfim belo post, brigado pela dica!

    Responder
  • Lena Victim U2

    15 de junho de 2010 at 1:46 pm

    ADORO ,essa série de paixão!
    È engraçadíssima,morro de pena do Chris com aquela mãe dele e o pai dele com dois empregos é demais,quando ele assiste novela então!
    Amei o post como sempre né.

    Responder
  • roHh

    15 de junho de 2010 at 2:02 pm

    eu AMO o Chris! Essa é realmente uma das séries de humor mais bem trabalhadas do momento! Daquelas que você não liga se é epsodio repetido porque você ri da mesma forma!

    Responder

Deixe uma resposta